Michael Jackson

Loading...

sábado, 19 de novembro de 2011

Elvis Presley - Um pouco da sua História e Biografia e O Lado Místico e Controverso de Elvis




A História de Elvis




Biografia de Elvis

Lisa Marie fala sobre o Pai
Elvis e Priscila

O Lado Místico e Controverso de Elvis



Fazem hoje 34 anos que Elvis Presley morreu. O Mundo lamentou , pois foi um ícone de primeira grandeza não somente para os americanos, como também para grande parte de seus inumeros fãs espalhados pelos quatro cantos da Terra.



Tudo se falou a respeito de Elvis, seja pelas suas canções, seus filmes, e sua personalidade conflitante. Mas uma das coisas que também chamam a atenção é a admiração do cantor por assuntos que dizem respeito sobre religião, numerologia e astrologia. 

Que Elvis era muito religioso, quase todo mundo deve saber, pois teve seus primeiros passos na música em uma Igreja Batista, e mais tarde, com a carreira já sólida e consagrada, gravou inúmeras canções e vários discos Gospel, além de suas famosas baladas, rock, e músicas românticas tão bem notórias. 


Um aspecto muito importante da carreira de Elvis Aaron Presley era o seu profundo amor à música Gospel. Nascido e criado numa pequena cidade do sul dos Estados Unidos (Tupelo), Elvis teve desde o começo de sua vida uma aproximação muito grande com a canção religiosa. Foi ouvindo estes hinos sacros que o jovem Presley aprendeu a cantar e expressar seus sentimentos através da música. Todos os domingos Elvis, sua mãe Gladys e seu pai Vernon iam aos cultos protestantes da Igreja Primeira Assembléia de Deus. Lá o pequeno garoto do Mississipi ficava deslumbrado com o magnetismo e a vibração dos pastores. Pode-se dizer, sem medo de errar, que foi com estes pregadores que Elvis aprendeu que a música deveria ser acompanhada de uma performance que prendesse a atenção do público.


Gospel significa evangelho, credo, evangelizar. Elvis queria, além de cantar, tentar evangelizar através de sua música. Um cantor versátil, pois muito embora conhecido como o “Rei do Rock”, cantava também blues, baladas românticas, country, e naturalmente, a música que tanto o influenciou na carreira quanto na religiosidade do canto, o Gospel. Esta também é a música religiosa, seja ela de que movimento ou tendência cristã for, mas a Gospel music é muito mais identificada com a música evangélica americana. Nasceu nas pequenas comunidades religiosas espalhadas pelas cidades do interior dos Estados Unidos. 

Os primeiro imigrantes ingleses que desembarcaram na América estavam fugindo da perseguição religiosa na Europa e foi para o novo mundo com a convicção de construir um novo lar, um novo país. Quando se instalavam em um novo local para construir ali as bases desta nova comunidade, a primeira coisa que construíam era um local para se realizar seus cultos religiosos.




Estes cultos despertaram um sentimento tão forte em Elvis que, aos nove anos, num gesto de caridade após o culto deu tudo o que possuía (um monte de gibis velhos) às crianças carentes da região. Já adulto e famoso Elvis sempre ia aos cultos das igrejas de negros para ouvir e cantar canções religiosas. Isto era um ato muito corajoso por parte do cantor, pois o sul dos Estados Unidos vivia uma separação racial muito forte entre brancos e negros. Para Elvis isto tinha pouca importância, para ele esta divisão não existia: tudo era música, tudo era mágica. 

Era um conhecido “mão aberta”. Motivado talvez por um sentimento de caridade cristã além de exagerada, conforme interpretava ele o Novo testamento, Elvis era capaz de dar presentes caros até mesmo para desconhecidos. Em alguns dos seus shows nos anos 70, Elvis jogava jóias em direção ao público que os assistia em suas apresentações, algo que irritava seu pai Vernon. 

SEGUNDO PERITOS que entendem de astrologia, Elvis tinha a Lua em Peixes. A Lua neste signo revela certa vulnerabilidade emocional. Também indica algum tipo de ligação especial com a mãe, com tendência a idealização. Tudo isso é característico marcante no traço de Elvis. A Afinidade com sua mãe era tanta que Elvis dormia na Cama dela até seus 15 anos de idade. Seu pai Vernon chegou a ser preso por contrabando de bebida alcoólica durante a lei seca.




As restrições por que Elvis passou na infância podem aparecer na conjunção de Saturno em Aquário com a Lua em Peixes. Saturno pode simbolizar algum tipo restrição, que no caso de Elvis era material, tendo ele uma forte ligação com a mãe, mas um distanciamento em relação ao pai. Com o Sol em Capricórnio, o pai fazia o papel de autoridade para Elvis, mas era a mãe quem coordenava e administrava tudo. Ela era o Sol em Capricórnio. Além disso, Saturno em signos do Ar pode expressar uma dificuldade em entendimento com um dos pais.




Como Elvis tinha Saturno conjunto a Lua, esta dificuldade com o pai era também emocional. Isto é fato verídico, pois Elvis e Vernon constantemente brigavam. A relação dos dois piorou muito quando a mãe Gladys morreu, pois não demorou muito, seu pai arranjou uma namorada e pouco tempo depois se casaram. Elvis sempre admitiu que não gostasse da madrasta, mas por estranho que seja se relacionava bem com os filhos dela, e um deles, Stanley, se tornou um membro da conhecida “máfia de Memphis”. 


Certa vez, Vernon falou a Elvis que ele jamais seria a metade do homem que era só pelo fato de ter feito uma cirurgia de fimose durante o tempo que namorava sua segunda esposa. Isto irritou ainda mais o cantor. 

Externamente, a imagem de Elvis era máscula. Ele tinha Marte no Meio-do-Céu, casa de sua imagem pública, e este Marte estava em quadratura com o Sol. Elvis tinha muita energia. Marte está em Libra, que é o signo do agradar. Marte em Libra pode simbolizar o galanteador, e Elvis certamente tinha esta faceta. 

Apesar disso, em seu mapa a energia 'feminina' ou 'Yin' predominava, através de signos da Terra e Água. Isto não quer dizer, porém, que Elvis fosse "gay", e sim, que sua natureza psíquica tinha componentes da Água e da Terra. Elvis tinha necessidade de preenchimento emocional, o que não parece ter conseguido obter plenamente isto, depois da morte da mãe, enquanto ele ainda estava no Exército, além de segurança, materialização, concretização. 

Elvis jamais se sentia satisfeito.




Esta característica 'Yin' de Elvis fez com que ele tivesse muito mais facilidade em se aproximar das mulheres do que dos homens. Por isto não é mero acaso que uma professora primária seja a primeira "descobridora" de Elvis, e que a mãe também tenha sido tão importante para ele. Com a Lua em Peixes, possivelmente ele achava abnegada, generosa, e também, de algum modo, sofredora. Com a Lua conjunta a Saturno, suponha que a mãe tinha um 'fardo pesado' (que o incluía principalmente), e se sentia 'devedor' disso. Mesmo que a mãe 'não exigisse nada'. É freqüente que a Lua em Peixes implique em um 'diálogo mudo', cheio de cumplicidade e entrelaçamentos. A mãe era, portanto, uma mártir (Peixes), mas era também sua base e esteio (Lua conjunta a Saturno). Não era raro Elvis sempre dizer que tudo que ele conseguiu através de seu sucesso ele devia a mãe e era dedicada a mãe. No enterro de Gladys, Elvis chegou a se atirar ao caixão em plena hora em que baixava ao túmulo, chorando e falando repetidas vezes que tudo que ele obteve foi por ela. 


Tanto a profissão inicial, que era eletricista da General Eletric, Elvis escolheu como o fato de ele ter se interessado por uma cultura diferente da sua tem a ver com Urano. Urano rege eletricidade, e Urano participa da Cruz Cardinal de Elvis, que envolve Marte, Plutão, Sol, Mercúrio e Vênus. Com Plutão em meio a tudo isto, de alguma forma Elvis se sentia excluído e rejeitado pela sua cultura branca e anglo-saxônica. Então, buscou o contato com outra cultura (Urano), na qual conseguiu acomodar melhor sua identidade. 

A Cruz Cardinal em seu mapa indica que Elvis esteve sempre tensionado em busca do seu eu (Sol, como planeta mais pessoal da Cruz), e que ele ativamente (Cardinal) buscava, através de uma agitação incessante (Marte), uma intensidade (Plutão) e desafio (Urano) constantes. Mesmo que os orbes não sejam exatos, podemos dizer que também nos seus relacionamentos ele vivia isto, já que Vênus também participa da Cruz. 

                                     



Elvis era uma pessoa exagerada. Tinha uma rotina de trabalho puxada e gostava muito de comer (o que se refletiu em seu físico nos últimos anos de sua vida). Uma característica de Elvis era que, quando gostava de alguma coisa, queria muito daquilo. E tinha tanto que depois perdia o interesse. Era assim com tudo. Ele também carregava as pessoas em suas manias. Foi daí que nasceu a “Máfia de Memphis”, que era composto por 12 homens (em alusão aos 12 discípulos de Cristo) que foram colegas de colégio ou colegas de seu serviço militar na Alemanha, amigos de longa data que Elvis sempre quis compartilhar não somente suas amizades, como também as felicidades, tristezas, e grandes confidências, inclusive o seu uso excessivo de barbitúricos. Um desses doze era Red West, que também fazia com ele inúmeras cenas de luta nos filme do cantor. Para quem não sabe, Elvis era faixa preta Dan 7 em Karate. 


Também eram esses doze que “cassavam” mulheres para as notórias orgias que faziam, quando o grupo se dirigia com Sua Majestade para uma casa exclusivamente direcionada para este objetivo, em Palm Springs, Califórnia. 




Tempos depois, cerca de um ano antes de sua morte, Elvis dispensou a “máfia”. Quatro anos antes, tanto Elvis e seus “assessores” haviam recebido do Presidente Richard Nixon distintivos policiais, e Elvis foi nomeado “Agente anti-narcótico”, com toda patente de policial, uma ironia para quem consumiu entre 1960 a 1977 uma quantidade incalculável de barbitúricos. 


Os integrantes da “Máfia” não gostaram nada dessa dispensa e escreveram um livro sobre Elvis contando de suas orgias e de seu consumo de drogas. Elvis chegou a pensar em mandar matar, mas um dos ex-integrantes, Joe Espósito, e um dos poucos que ainda eram homens de confiança do cantor, felizmente o fez ver que sua filha Lisa, então com oito anos, se decepcionaria com um pai assassino. Frank Sinatra, que leu o livro escrito pelo pessoal da "Máfia de Memphis" chegou a ligar para o cantor, e ofereceu ajuda a Elvis para dar cabo de Red West e os outros, com sua "influência" (Sinatra era um mafioso notório), mas o "Rei do Rock" recusou por dois motivos: Um porque tinha mudado de idéia graças aos conselhos de Espósito, e depois, porque no fundo jamais gostou de Sinatra.

Na realidade, Elvis gostava de armas de fogo, emblemas policiais, Cadillacs e cavalos. Isto vem, novamente, da quadratura entre o Sol e Marte. Elvis tinha uma agressividade e energia inatas, as quais tinham de dar vazão. Com exceção dos cavalos, uma possível preferência de seu Ascendente em Sagitário, todos os outros símbolos são 'marcianos' e masculinos. Em suas apresentações, Elvis também era o próprio Marte (que está na casa dez, à casa pública), fazendo apresentações vigorosas e movimentos como socos no ar.





Certa vez, Elvis tinha um "guru", que na realidade era seu cabeleireiro. Ensinava a Elvis certas noções de espiritualidade, inclusive sobre reencarnação. Entretanto, um homem que sempre conseguiu controlar não só a carreira de Elvis, mas praticamente a alma do cantor era seu famigerado empresário Tom Parker, intitulado “Coronel” (não se sabe por que, pois na realidade ele não tinha esta patente, e nunca foi militar) não gostava dos discursos que às vezes escutava por trás da porta entre o “guru” e Elvis, tanto que conseguiu dispensá-lo da vida do cantor, achando que poderia ser uma péssima influência para a vida do cantor. 




Entretanto, mesmo depois de uma terapia promovida pelo guru e de sessões de doutrinação espiritual, Elvis era capaz de cometer atos de violência. Certa vez, saindo de uma sessão, Elvis pegou sua limusine e pediu a Red West, um de seus guarda costas e amigo da “máfia” para ele percorrer a estrada. Nisso, Elvis pede para Red parar o carro num posto de gasolina, onde estavam a ver dois frentistas brincando de brigar. Nisso, Elvis desceu da limusine, e falou aos caras: Vocês não devem fazer isso. Procurem se amar, pois a violência não leva a lugar algum.

Quando Elvis estava pronto para entrar no carro novamente, ele percebeu que um deles estava levantando o dedo maior em sua direção, o popularmente conhecido “vai se @#%”.

Imediatamente, Elvis se vira e chuta o estômago do indivíduo que cai longe. O outro resolve partir para a direção do cantor, mas este saca de um revólver. A sorte que Red tomou a sua arma e o fez entrar na limusine, partindo em seguida. 
Outro caso de agressão e defesa pessoal envolvendo Elvis aconteceu num show, em Dallas, em 1974. Três homens invadiram o palco e começaram a mexer com o cantor. Elvis conseguiu atingir os três a golpes de Karatê, e os agressores foram encaminhados a polícia local.


Pode-se perceber em inúmeros de seus filmes nas cenas de luta que Elvis, sem dublês, utiliza desta arte marcial milenar. Também o fez em inúmeras coreografias nos seus shows dos anos 70 (com exceção de 1975 a 1977, onde mais gordo e já sentindo a saúde abalada, só fazia um cumprimento, em substituição ao antigo rebolado que o notabilizou no início de sua carreira nos anos 50). 



Então Elvis era conhecido um traço místico e religioso. Porém, isto não impedia de ser agressivo, maníaco, temperamental, inseguro emocionalmente, e de sentir depressões, além também de ter a sensação de se sentir perdido. Segundo astrólogos, a depressão está refletida na sensível Lua em Peixes conjunta a Saturno. Estes dois planetas na casa três podem indicar que Elvis podia sentir falta de com quem dialogar realmente.




Saturno também expressa limites, e, após a morte da mãe, ninguém mais fez este papel. Elvis sentia faltar em sua vida algo especial (Lua em Peixes) e também um esteio, uma base (Saturno). Por isto possivelmente se deprimia e também expressava um misticismo exacerbado, que, aliás, pode ter sido responsável pelo mito coletivo de que ele não teria morrido (a Lua rege a casa oito de Elvis, que simboliza a morte e o pós-morte).




O fervor místico de Elvis também se expressa em Júpiter e em Escorpião (havia intensidade nas crenças de Elvis) e no próprio Netuno na casa nove, casa das crenças. Netuno rege a Lua pisciana de Elvis. Visões místicas e astrológicas. 


Netuno está, porém, no signo oposto ao que rege. Em uma posição de complexidade, portanto. Netuno em Virgem pode funcionar como o 'divino' (Netuno) transposto para o cotidiano (Virgem), mas também o lado negativo de Virgem pode predominar sobre Netuno, inclinando a pessoa ao ceticismo, a visão de que tudo gira em torno de interesses e a decepção com as mesquinharias do mundo. É uma posição desafiante. Elvis viveu muito esta polaridade Peixes/Virgem, porque, conquanto fosse muito místico, via a sua vida fragmentada e sem sentido, e não conseguia viver este ideal no seu dia-a-dia. O abuso por medicamentos, que sobrecarregou o seu corpo, pode ser uma faceta de tudo isto, pois indica a busca do entorpecimento contra as desilusões, a depressão e a falta de sentido.

                                       


Quando morreu, em 16 de agosto de 1977, aos 42 anos, estava com um princípio de câncer nos ossos, graves problemas no cólon e no aparelho digestivo e ainda sofria de glaucoma no olho esquerdo, decorrente de hipertensão e estresse. Por conta disso, tomava grandes doses de medicamentos. Havia chegado ao peso de 120 kgs de seus 1m84 de altura (quando começou a carreira, pesava 78 kgs, e era apelidado de "The Pelvis"). A família de sua mãe também tinha um histórico de problemas cardíacos. Elvis morreu de um ataque no coração fulminante. 

Elvis tinha muitos planetas em Capricórnio. Quando se tem muitos planetas em um signo, é preciso fazer um bom uso das características daquele signo, pois, de outro modo, a pessoa poderá ter problemas nas partes do corpo regidas por ele. Capricórnio rege os ossos. Elvis tinha o lado capricorniano do profissionalismo e da dedicação a carreira. Mas também tinha o lado capricorniano do perfeccionismo, da absorção excessiva de pressões e também da tendência a estafa e a exigir muito de si mesmo. 

Os problemas cardíacos parecem estar expressos em dois pontos do mapa de Elvis. Em primeiro lugar, na quadratura que Urano envia ao Sol e a Mercúrio. O Sol rege o coração e Mercúrio a mente. Urano agita e pode trazer tendência à hipertensão, se a pessoa não aprender a controlar sua impaciência. Elvis, aliás, já tinha o Sol também em quadratura com Marte, outro planeta que ajuda a 'esquentar'. Tudo isto funcionava muito bem no palco, mas talvez não funcionasse tão bem assim na sua vida pessoal. 

O segundo ponto que poderia explicar os problemas cardiocirculatórios é Saturno em Aquário. Aquário é o signo da circulação, e Saturno é restrito. Este planeta está conjunto a Lua, que rege o sistema digestivo. Isto indica que Elvis deveria ser cuidadoso (Saturno) na alimentação (Lua), e nós sabemos que não era o caso, em especial nos seus últimos anos de vida.




Ginger Alden, sua namorada com 20 anos, o encontrou caído na banheira. Os paramédicos foram chamados, mas não conseguirem reanimar Elvis e ele foram levado ao Baptist Memorial Hospital, onde novas tentativas de ressuscitação falharam. Ele foi declarado morto por seu médico, Dr. George Nichopolous, que listou a causa oficial da morte como arritmia cardíaca. 


Embora Elvis nunca tenha se apresentado fora dos EUA (exceto uma vez no Canadá), países de todo o mundo enviou repórteres para Memphis. A cobertura da imprensa em jornais estrangeiros e na televisão européia foi quase tão extensa quando as reportagens nos Estados Unidos. Em todos os lugares do mundo, as pessoas lamentaram a perda de um artista insubstituível. 



Uma hora após a morte de Elvis, fãs começaram a se reunir em frente à Graceland. No dia seguinte, quando os portões foram abertos para as pessoas verem o corpo de Elvis, a multidão foi estimada em 20 mil. Quando os portões foram fechados às seis e meia da tarde, cerca de 80 mil fãs haviam passado pelo caixão de Elvis. Muitos tinham vindo de diferentes partes do país; muitos de diferentes partes do mundo.




Posteriormente, tantas pessoas chegaram que foi impossível todas entrarem em Graceland, mesmo com a prorrogação do horário. Policiais temeram que pudesse haver problemas com o controle da multidão, mas não houve nenhum. Porém, ocorreu um trágico acidente que não tinha a ver com a morte de Elvis: um motorista alcoolizado atropelou três adolescentes na multidão, matando dois deles.

Os fãs de Elvis enviaram uma imensa coroa de flores, que foi colocada ao longo do banco em frente a casa. Todas as flores em Memphis foram vendidas até a noite de 17 de agosto e flores adicionais foram enviadas de outras partes do país. Esse foi o melhor dia na história do FTD, um serviço de entrega de cerimônia. Os funcionários da FTD alegam que mais de 2.150 arranjos foram entregues. Os arranjos foram ornados com raios brilhantes, violões, cães de caça e estrelas, como também na forma de coroas e buquês mais tradicionais. Muitos dos arranjos foram enviados imediatamente para o Cemitério Forest Hill, o local de seu enterro. Após o funeral, Vernon Presley permitiu que os fãs levassem as flores como recordações. 

Várias celebridades compareceram ao funeral de Elvis, incluindo Caroline Kennedy, a cantora de música country Chet Atkins, os atores Lee Majors, Ann-Margret, George Hamilton, John Wayne, e Burt Reynolds, e o pastor evangélico da TV Rex Humbard, que foi um dos oradores durante a cerimônia. O comediante Jackie Kahane, que havia aberto muitos shows de Elvis, fez seus elogios e um ministro local também falou.

Artistas evangélicos cantaram, incluindo Jake Hess, J.D. Sumner, James Blackwood, e seus grupos vocais, como também a cantora Kathy Westmoreland. O caixão foi transportado para o Cemitério Forest Hill em um longo cortejo composto somente por automóveis brancos. 



Mais tarde, quando alguém ameaçou roubar os restos mortais de Elvis, seu caixão foi levado para o Jardim da Meditação, atrás de Graceland. O corpo de Gladys também foi levado para o Jardim da Meditação, em 1977; Vernon Presley morreu e foi enterrado lá em 1979; e Minnie Mae Presley foi colocada ao lado do restante de sua família em 1980.


Abaixo o vídeo do youtube do JORNAL NACIONAL anunciando a morte do cantor, em 16 de agosto de 1977.

Elvis Presley - Anúncio de sua Morte




Elvis Presley funeral



Vídeo inédito do último show de Elvis Presley



Ultimo Show de Elvis Presley







Fonte: 


Acrescimos de Vídos: Mimijak







5 comentários:

Ernestina Buss disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
megavideosfilmes disse...

grandes icones da musica no dihitt postei um filmes de michael.. bom confira
sou um dos seus amigo na red dihitt , passei para conhecer seu blog , muito nameiro .. se poder vizite o meu tbm e me segue por favor abç
clica para entra no site e seguir

Larissa disse...

adorei seu blog estou seguindo suas noticias
Game para celular

Kátia Farago disse...

Elvis!! Querido e amado.
De uma voz belissíma. Inesquecivel..passe os anos que passarem ainda será o meu "Rei"

Fábio Fernandes disse...

Always on my mind é linda com ele, Pet Shop Boys ou o chato do Willie Nelson. Love me Tender sempre vem à cabeça. Já vi muita sessão da tarde com este cara. Pena que foi embora cedo, ainda bem que suas músicas nos acompanham. Sem eles a vida seria tão mais chata.